#WELCOME

14/10/2014 § Leave a comment

09/10/2014 § Leave a comment

THE SAME OLD THINKING  =  THE SAME OLD RESULTS

THE SAME OLD THINKING = THE SAME OLD RESULTS

#thoughts: “Vitalidade”

17/09/2014 § Leave a comment

A vitalidade é a característica que mais deve ser construída e procurada durante todo o complexo processo de viver. É através desta que todas as partes da vida se constroem e ganham especial significado, desde o amor até aos sucessos e sonhos retidos no peito. As histórias e as oportunidades surgem ou criam-se através desta, pela força aplicada na busca e na compreensão de todos os momentos, na aceitação das derrotas e na comemoração das vitórias do dia-a-dia. Para muitos a análise sobre a vida depende dos sorrisos e/ou das lágrimas realçadas no rosto, porém até para se sentir as emoções é necessário vitalidade – como construir a vitalidade?

#Free download

10/08/2014 § Leave a comment

DOWNLOAD

DOC, “Memórias soltas em corpos presos” (2014)

03/06/2014 § Leave a comment

A tetraplegia e a paraplegia são vistas socialmente como um estado de delimitação extrema. Os acessos para deficientes motores são limitados, a compaixão que circunda a questão é delimitadora e recai sobre um sentimento de pena que muitas vezes não é mais do que aceitar alguém aparentemente afastado duma realidade politicamente correcta – correr, saltar – vivemos numa sociedade que vive em prol do comodismo, do não fazer nada, do menor exercício do pensamento, podendo-se afirmar que muitos dos que caminham pelos próprios pés são mais tetraplégicos do que aqueles que vivem e forçam a sua felicidade, persistentemente, perante as suas adversidades físicas. Todavia o pensamento é livre e não está de modo algum preso a nenhum corpo assim como os sonhos também são livres de toda a matéria física num mundo onde os impossíveis são gerados por homens preconcebidos por uma sociedade imperfeita.

aFree-Vector-Social-Media-Icons-2012

#VISIT

19/05/2014 § Leave a comment

tostão furado channel

#Screenplays: “A viagem”

06/05/2014 § Leave a comment

Compreender a vida como uma viagem é um modo descontraído de se viver. Pois, em todas as viagens podem surgir novos destinos além do inicialmente traçado, se pensar-se no fim da viagem estraga-se a estadia, se não se aproveitar, descobrir e conhecer aquilo que se apresenta no trajecto também não vale de muito viajar. Quantos de nós não compramos passagens em busca de novas sensações, ansiosos pelos momentos que se poderão seguir, visto que não se conhece o destino, mesmo que se tenha um mapa traçado à partida. Assim, tal como na vida, alguns do momentos que se perspectivam podem corresponder às expectativas, outros podem até exceder e tantos outros não são nada daquilo que se esperava. Todavia a viagem não deixa de ser entusiasmante se o turista quiser sempre usufruir tudo aquilo que não conhece.